Maternidade de substituição desde do A ate Z

 

Se o médico fez um diagnóstico completo e relatou a infertilidade, um casal inicia o processo de substituição. Sobre tudo, em primeiro, é necessário escolher uma clínica licenciada da medicina reprodutiva. Centro BioTexCom é um dos melhores. Aqui, é uma equipa de profissionais médicos, juristas e psicólogos que vai ajudar-lhe realizar o seu sonho de se tornar pais facilmente e sem quaisquer pós-efeitos.

Primeiro de todo os funcionaris da clínica BioTexCom vão escolher-lhe uma mãe substituição adequada. Nosso centro médico tem uma base de dados das mães de substituição que correspondem aos todos os requisitos necessários. Os principais requisitos para a mãe de substituição são:

  • limite máximo de idade de são 35 anos;
  • boa saúde geral e possibilidade de passar por uma gravidez com quantidade mínima de risco para a sua própria saúde e saúde do bebé;
  • mínimo uma própria criança saudável;
  • saúde mental.

Para o papel de mãe de substituição o casal pode escolher parente, amiga ou pessoa completamente desconhecida – esta escolha é sempre individual e depende dos desejos e preferências da família. Depois de escolher uma mãe de substituição, acordos apropriados são atingidos entre ela e os pais genéticos, a fase dos testes médicos e exame de saúde são iniciados. Mulher que vai carregar um filho deve ter resultados de exame médico complexo. Em particular:

  • tipo sanguíneo e fator Rh;
  • exame de sangue para sífilis, SIDA, hepatite B e C (válido por 3 meses);
  • exame para infeções venéreas (clamídia, herpes genital, ureaplasma, micoplasma, citomegalovírus, rubéola, etc (válido por 6 meses);
  • análise de urina (válido por 1 mês);
  • análise de sangue completa + coagulabilidade (válido por 1 mês);
  • análise química do sangue: AAT, AST, bilirrubina total, açúcar, nitrogénio ureico no sangue etc (válido por 1 mês);
  • fluorografia (válido por 1 mês), RX dos pulmões;
  • esfregaços de flora da uretra e canal cervical; nível de limpeza vaginal (válido por 1 mês);
  • exame citológico do esfregaço do colo do útero;
  • exame terapêutico e seu relatório sobre o estado de saúde e ausência das contra-indicações para a gravidez;
  • exame e relatório de psiquiatra.

Se os resultados de todos estes exames respondem ás normas apropriadas e mulher que aceita carregar uma criança é saudável, os médicos começam a próxima fase – sincronização dos ciclos menstruais das mães: genética e de substituição. É necessário de alcançar uma certa condição de óvulos das mães genética e substituta. Durante esta fase, de acordo com um determinado esquema, mãe substituta entrega agentes hormonais que causam a maturação do endométrio. Depois os médicos realizam a verificação do nível de hormona no monitoramento de sangue e ultra-som do endométrio e ooteca. A principal tarefa desta fase é alcançar o grau necessário de maturidade do endométrio (camada interna do útero) de mãe de substituição para a implantação do embrião (religação) até o tempo de derivação e transferência de embriões. Durante estas preparações, de acordo com um determinado esquema, mãe substituta entrega celulas hormonais que causam a maturação do endométrio, ou sincronização é executada no ciclo natural. Claro que, durante este período, mãe de substituição pode usar apenas métodos da barreira de contraceção, não hormonais.

Mais tarde, quando a sincronização de ciclos for alcançada, o procedimento de fertilização in vitro pode ser iniciado o padrão. Durante esta fase, embriões pegados dos pais genéticos são transferidos para a cavidade uterina da mãe substituta.

Procedimento de fertilização in vitro, para todos os seus participantes, consiste das várias etapas.

O exame médico dos pais genéticos. É realizado pelos seguintes parâmetros.

Para as mulheres:

  • exame geral e especial ginecológico;
  • exame ultra-sonográfico dos órgãos pélvicos;
  • identificação do tipo sanguíneo e fator Rh;
  • hemograma completo, incluindo o tempo de coagulação (válido por 1 mês);
  • exame de sangue para sífilis, SIDA, hepatite B e C (válido por 3 meses);
  • esfregaços de flora da uretra e canal cervical; nível de limpeza vaginal;
  • exame terapêutico e seu relatório sobre o estado da saúde e capacidade para carregar uma gravidez.

De acordo com as indicações, mãe genética passa pelos seguintes exames:

  • exame do útero e trompas de falópio (histerossalpingografia ou histerossalpingoscópio e laparoscopia);
  • biópsia do endométrio;
  • testes bacteriológicos do material da uretra e do canal cervical;
  • exame citológico do esfregaço do colo do útero;
  • exames de sangue para as hormonas;
  • exame para a presença de anti-espermatozóide e anticorpos antifosfolípides (anticorpos contra o esperma);
  • exame para infeções (clamidiose, ureo e micoplasmose, vírus cito-megalo, toxoplasmose, etc.);
  • conclusão decisiva de outros especialistas sobre os resultados do exame.

Para homens:

  • exame de sangue para sífilis, SIDA, hepatite B e C (válido por 3 meses);
  • espermograma;
  • identificação do tipo sanguíneo e fator Rh;
  • consulta do andrólogo;
  • exame para infeções (clamidiose, ureo-e micoplasmose, vírus de herpes simplex, citomegalovírus, etc).

Além disso, o casal com idade acima de 35 anos tem de efetuar uma consulta genética médica.

A indução de superovulação

Esta fase começa após o exame da mãe genética. Superovulação é um processo de maturação de vários óvulos em uma ooteca (normalmente, durante cada ciclo menstrual, apenas um óvulo é maturado em ooteca). Estimulação da superovulação das mulheres, que desejam ter um filho, é conduzida para aumentar a chance de gravidez. Para alcançá-la, à mulher, são injetados os hormonas especiais que causam a maturação nos vários os folículos (bolhas onde óvulos crescem). O seu desenvolvimento é controlado pelo exame do nível de hormona no sangue e exame de ultra-som diariamente a partir do quarto-quinto dia da estimulação até folículos atingem um determinado tamanho.

Métodos de controlo:

  • monitoramento do ultra-som é o principal método de controlo do processo do desenvolvimento dos folículos e endométrio durante a indução da superovulação. Durante o monitoramento de ultra-som, o número de folículos e dimensionamento do seu diâmetro médio e a espessura do endométrio são fixos.
  • monitoramento hormonal é uma identificação dinâmica da concentração de hormonas de ooteca em sangue e os dados adicionais de ultra-sonografia de maturidade dos folículos.

Indicadores de que a indução de superovulação foi concluída com êxito são: o diâmetro do folículo é mais de 17 mm de largura e do endométrio -8 mm mais. Para completar a maturação do óvulo, médico injeta via intramuscular a hormona humana coriónica que estimula o processo quando o óvulo deixa ooteca. Em 35-36 horas a ovulação deve começar – folículos deixa ooteca.

Punção

Após disso segue um procedimento de punção dos folículos – tirar os óvulos por meio de paracenteses  de folículos com uma agulha especial introduzida através da vagina para dentro da cavidade pélvica e ooteca para receber os óvulos. Este procedimento é realizado ao passar 32-40 horas após a introdução da hormona coriónica gonadotrófica. Procedimento é realizado sob controlo de ultra-som com a ajuda de agulha especial de punção. No caso de não poder cumprir uma punção através da vagina, óvulos podem ser obtidos pelo método laparoscópico, ou seja, através de punção da parede abdominal, sob controlo de uma câmara especial, introduzida no útero.

Normalmente, a mãe genética é recomendado,  parar de comer e beber 8 horas antes de fazer a punção e  o saneamento da vagina local (infiltração vaginal de velas ou fluido desinfeção) alguns dias antes da punção para reduzir o risco de infeção no momento da punção. Durante alguns dias após a punção, as mulheres podem sentir certa dor na região pélvica, mas geralmente não há consequências desagradáveis.

Fertilização

Então, óvulos da mãe genética foram recolhidos e transferidos para embriólogos. Qual é o próximo passo? Após disso, a coisa mais importante acontece – “inseminação dos óvulos e cultivação dos embriões in vitro”, ou seja, a fertilização in vitro aos óvulos recolhidos com esperma do marido (pai genético).

Antes da punção folicular, o esperma é dado à mãe genética pelo o pai genético . Antes desse procedimento para o homem é recomendada a continência sexual durante 3-5 dias. Espermatozóides necessários são recebidos através da masturbação.

Em seguida, os óvulos, recebidos da esposa, são fertilizados pelo esperma do seu marido. Este processo acontece da seguinte maneira: fluido folicular obtido devido a punção folicular é colocado na caixa de Petri, é conduzida a estimativa de qualidade de óvulos recebidos , após o que eles são transferidos para uma incubadora especial com o esperma. Facto de fertilização dos óvulos pode ser visto em 12-18 horas. Se procedimento passou com sucesso e fertilização aconteceu, eles são colocados em um ambiente especial, onde o desenvolvimento inicial de embriões ocorre.

A estimulação repetida de fertilização é realizada ao passarem 24-26 horas. Controlo da fertilização dos óvulos é realizado durante o exame de pratos com células cultivadas sob microscópio. No entanto, não é suficiente a sua presença para tomar uma decisão de transferir os embriões para o útero da mãe substituta: em primeiro lugar é preciso garantir o desenvolvimento normal dos embriões. Pode ser visto apenas a partir de quantidade e qualidade das células em divisão de embrião, e não mais cedo do que um dia após a fertilização, quando os primeiros sinais de divisão de células podem ser vistos.

Se a fertilização não acontecerá, todo o procedimento é repetido mais uma vez durante do outro ciclo menstrual.

Transferência de embriões

Se a fertilização é bem sucedida, próxima fase pode ser iniciada – embriões são transferidos para o útero da mãe de substituição, que foi preparada para este procedimento com a ajuda de terapia hormonal preliminar.

Procedimento de transferência passa na cadeira ginecológica: médico introduz cuidadosamente um cateter especial no útero, embriólogo traz uma seringa especial preenchida com um líquido, que contém embriões, e eles são gradualmente introduzidos através do cateter para dentro da cavidade uterina  pelo canal cervical. Este é um procedimento totalmente indolor. Se isso não for possível por algum motivo, a transferência do embrião pode ser feita através da parede do útero (método transmiométrio). Neste caso, a agulha pode ser inserida na cavidade pélvica através da vagina ou da parede abdominal. Geralmente, são transferidos não mais do que três embriões, embora uma quantidade maior também é possível – se a probabilidade da implantação baixa a é esperada.

Após o procedimento de transferência dos embriões, mãe de substituição recebe a hormona que é chamada hormona de suporte  ajudando  medicalmente produzir hormona progesteron – que melhora a condição do revestimento interior do útero – endométrio, e de tal maneira aumenta a probabilidade de sucesso para a fixação de embriões no utero.

Mãe de substituição deve abster-se dos contatos sexuais durante 2 semanas após a transferência das embriões, do trabalho físico pesado e atividade física intença. Quando o resultado será conhecido?

Os embriões são transferidos no dia 17 do ciclo menstrual (dias são contados a partir do primeiro dia da menstruação), a gravidez é diagnósticada dependendo do conteúdo de beta-CG no sangue ou na urina, depois do exame que é feito após  dos 12-14 dias da transferência do embrião, e no dia 15º depois das  hormonais especiais injetadas o resultado positivo do teste da gravidez, este tratamento é continuado até 12-14 semanas de gravidez.

A confirmação da gravidez pelo ultra-som pode está feita  após das 21 dias da transferência dos embriões.

Depois  do início da gravidez, mãe de substituição está sepmpre sob o monitoramento e vijilancia dos médicos.